Com uma atuação de gala da dupla Josiel/Erick Flores, o Flamengo se recuperou da derrota para o Vasco na rodada passada e, por 4 a 2, bateu o Madureira na tarde desta quarta-feira, no Estádio Giulite Coutinho, em Edson Passos. Os destaques ficaram por conta da eficiência demonstrada por Erick Flores, uma aposta do técnico Cuca, e do atacante Josiel, que marcou três vezes, chegou aos nove gols no Estadual do Rio e se juntou a Victor Simões, do Botafogo. O goleador máximo é Bruno Meneghel, do Resende, que soma 11. O lateral-esquerdo Juan, de pênalti, Bruno e Alex Alves, os dois últimos para o Madureira, completaram o marcador.

O resultado devolveu a liderança provisória do Grupo B ao clube da Gávea, junto com o Bangu. Com dez pontos, o Flamengo fica na torcida por um tropeço do Botafogo, com nove, no compromisso diante do Americano pela quinta rodada da Taça Rio. Pelo B, o Madureira continua na terceira colocação com nove pontos. No sábado, no Engenhão, o Flamengo pega o Resende, enquanto que o Tricolor Suburbano vai até Saquarema enfrentar o Boavista.

"Sabíamos que uma vitória seria importante demais, pois um tropeço poderia nos deixar fora da briga por uma das vagas na semifinal da Taça Rio", resumiu Juan.

Tarde de Josiel:

O Flamengo iniciou a partida em cima do adversário. A tática foi a de sufocar o Madureira em seu campo de defesa nos minutos iniciais. E deu certo, pois logo aos dois minutos, depois de um cruzamento de Juan pela esquerda, Josiel quase completou para o gol. Apesar de o centroavante atuar isolado como referência na frente, o técnico Cuca armou a sua equipe com Juan bem aberto pela esquerda, enquanto que Erick Flores da mesma maneira pela direita. Sem Leonardo Moura e Willians, suspensos pela expulsão no clássico com o Vasco, movimentação foi o ponto forte da equipe nesta tarde.

Sem a bola, Zé Roberto tratou de recuar para ajudar a fortalecer o setor de meio campo e fazer com que a bola ganhasse mais qualidade na ligação com o ataque. No entanto, depois de assustar o adversário com mais volume de jogo, o Flamengo relaxou na marcação e proporcionou mais espaços para o Madureira sair de sua defesa com a bola dominada. Mas pouco antes da metade da primeira etapa, os rubronegros voltaram a ter o domínio territorial.

Depois que Erick Flores deixou de tentar jogadas pelo meio da defesa do Tricolor Suburbano, ele passou a cair pelas duas laterais. O primeiro bom sinal aconteceu aos 23, quando o atacante deu um belo toque para Juan. O camisa 6 entrou na área e cruzou rasteiro para Josiel, que, de carrinho, fez o gol. Mas o árbitro anulou acertadamente a jogada por causa da posição irregular do atacante. Só que três minutos depois não teve jeito: Erick Flores, pela esquerda, colocou a bola na cabeça de artilheiro para inaugurar o marcador.

Atordoado pelo golpe, o Madureira deu claros sinais de que não sabia ainda como segurar as subidas de Zé Roberto, Ibson e Erick Flores. Aos 29, mais uma vez a aposta de Cuca deu resultado. O jovem atacante fez bela jogada, entrou na área e rolou para Josiel, que só teve o trabalho de dominar e fazer o segundo. O Madureira, aos 41, ainda diminuiu por intermédio de Bruno, mas o dia era todo mesmo de Josiel. Aos 43, depois de uma lambança generalizada da zaga adversária, ele marcou mais um.

Sufoco e tranquilidade:

Com a partida aparentemente resolvida, os visitantes voltaram para a etapa final fora do desenho tático que deu certo no início. Erick Flores, que atuava aberto pelas pontas, passou a jogar mais próximo de Josiel nos arredores da grande área. Isso permitiu ao Madureira a criar duas chances perigosas, mas o goleiro Bruno salvou. Depois de sofrer uma entrada mais dura de um adversário, Erick Flores deixou o campo para a entrada de Jônatas.

A mudança enfraqueceu a força ofensiva do Flamengo, pois Zé Roberto ficou mais preso na construção de jogadas. Isso acarretou em uma perda de velocidade nos contra-ataques e o Madureira cresceu. A sorte dos rubronegros foi que o nível técnico do rival era lastimável. Prova disso aconteceu aos 22 minutos. Depois de uma cobrança de escanteio pela direita, Luís Cláudio deu de bico na risca da pequena área. Antes de consolidar a vitória, os flamenguistas ainda viram o atacante Alex Alves descontar, aos 29, mas respiraram aliviados depois que o zagueiro Eduardo Luiz, infantilmente, colocou a mão na bola dentro da área. Aos 37, o lateral-esquerdo Juan cobrou com extrema categoria e fechou o caixão do Madureira.

MADUREIRA 2 x 4 FLAMENGO:

Madureira: Renan, Claudemir , Ricardo, Eduardo Luiz e Amarildo; Wágner (Warley), Paulo Victor, Abedi (Luís Cláudio) e Bruno; Alex Alves e Jones (Adriano Felício)
Técnico: Róbson Gabriel

Flamengo: Bruno; Everton Silva, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton, Toró (Kleberson), Ibson e Erick Flores (Jônatas); Zé Roberto (Maxi) e Josiel
Técnico: Cuca

Data: 25/03/2009 (quarta-feira)
Horário: 16h
Local: Estádio Giulite Coutinho, em Édson Passos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Cartões amarelos: Ricardo, Wágner, Amarildo (MAD, Éverton Silva e Aírton (FLA)
Cartão vermelho: Ricardo (MAD)
Renda: R$ 59.465,00
Público: 3.967 pagantes
Gols: Josiel, aos 26, aos 29 e aos 43 do primeiro tempo(FLA), Juan, de pênalti, aos 37 do segundo, Bruno, aos 41 do primeiro, e Alex Alves, aos 29 da etapa final (MAD)