Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Nove Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecos) do Ministério Público brasileiro realizam, nesta quinta-feira (15), operações contra integrantes de organizações criminosas em todo o país. Em Alagoas, policiais cumprem 37 mandados de busca e apreensão e 42 de prisão contra integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

De acordo com o Ministério Público Estadual, todos os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital e estão sendo cumpridos em Maceió e em mais sete municípios do litoral norte do estado: São Miguel dos Milagres, Maragogi, Japaratinga, Paripueira, Passo de Camaragibe, São Luís do Quitunde e Matriz de Camaragibe.

Dos 42 mandados de prisão, três foram cumpridos na capital, sendo dois no sistema prisional: um na Penitenciária Baldomero Cavalcante e, o outro, no Presídio de Segurança Máxima.

De acordo com o Gaeco, a operação é resultado de três PICs - procedimento investigatório criminal do próprio Gaeco - e um inquérito policial do Denarc - Departamento de Narcóticos da Polícia Civil de Alagoas.

Todos os PICs do Ministério Público Estadual de Alagoas são referentes aos crimes de tráfico de drogas e organização criminosa e, para este trabalho executado hoje, os alvos foram três células diferentes do PCC. Já a Polícia Civil investiga a quarta célula do Primeiro Comando da Capital.

Segundo os promotores de justiça do Gaeco, as drogas - maconha, crack e cocaína - comercializadas ilegalmente pela facção criminosa no litoral norte de Alagoas vem de Maceió.  

As diligências desta quinta-feira estão sendo realizadas simultaneamente pelos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro. No total, estão sendo cumpridos mais de 300 mandados judiciais, entre prisões e buscas e apreensões.

 Acompanhando os trabalhos em uma sala especial da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (CSI/MPRJ), o presidente do GNCOC, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, garantiu que esse tipo de enfrentamento seguirá ocorrendo em todo o Brasil. “Os Gaecos do país inteiro estão trabalhando incessantemente para combater as organizações criminosas que tanto afrontam a paz social e as forças de segurança do país. Seguiremos nesse propósito todos os dias”, assegurou Gaspar, que é também procurador-geral de Justiça de Alagoas.

A ação contou com o trabalho integrado de diversos batalhões, delegacias e grupos táticos. A Polícia Militar atuou com o Comando de Policiamento da Capital (CPC), Comando de Policiamento do Interior (CPI), os Batalhões de Operações Especiais (Bope), de Radiopatrulha (BPRp), de Eventos (BPE), o Rodoviário (BPRv), Ambiental (BPA), e o Batalhão de Trânsito (BPTran). Também participaram equipes dos 6°, 7° e 10° Batalhões e as 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Companhias Independentes. 

A população é ferramenta fundamental no trabalho das polícias na desarticulação de organizações criminosas e pode contribuir realizando denúncias anônimas pelo 181.

Veja vídeos:

 

 

 

*Com informações da Assessoria