(Foto: Arquivo) Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Delegado Nivaldo Aleixo, titular do 9º Distrito da Capital

Atualizada às 17h18

Dois homens que tentaram fraudar a prova teórica do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), na manhã desta terça-feria (13) foram presos pela Polícia Civil.

Os suspeitos foram detidos, pelos agentes do 9º DP, no momento que tentavam fazer a prova no lugar de outras pessoas, na sala de teste do Detran, localizada no shopping Miramar, no Barro Duro. 

Segundo o delegado Nivaldo Aleixo, as investigações foram iniciadas há três meses após recebimento de informações sobre a fraude.  “Além dos presos e dos beneficiados, estamos investigando se há participação de outras pessoas no esquema”, informou o delegado.

De acordo com o delegado Nivaldo Aleixo, além dos presos, há outros alvos e os supostos inabilitados, que teriam se beneficiado do esquema criminoso. Eles também podem ser detidos pela polícia.

“Quem se beneficiou do esquema criminoso também pode ser detido. Com a prisão dos suspeitos tudo será esclarecido e quem pagou para eles também pode responder pelo crime”, finalizou o delegado.

Após a prisão, os dois homens foram levados para a sede da Delegacia do 9º DP, no bairro do Jacintinho, para confecção dos procedimentos cabíveis.

Em nota, o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) esclarece que realiza rotineiramente auditorias em todos os procedimentos e identificou algumas inconsistências em processos relacionados à transferências interestaduais de candidatos à 1ª habilitação.

Após análise dos dados, foram identificadas fraudes na realização da prova teórica de legislação, e prontamente informadas à Polícia Judiciária do Estado, a quem cabe o processo investigativo.

O Detran/AL ressalta que possui sistemas de controle e auditoria para que cada processo atenda os princípios da legalidade, eficiência e segurança, permitindo que eventuais fraudes sejam descobertas por procedimentos auditáveis eletronicamente. 

Observa-se ainda que a corregedoria da autarquia está adotando todas as medidas internas e investigatórias para apurar se há envolvimento de algum servidor ou colaborador no caso citado.

*com Ascom PC