Ascom PM/AL Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Patrulha Maria da Penha

O número de feminicídios cresceu em 2019. Dados da Secretaria de Segurança Pública em Alagoas (SSP/AL) mostraram que de janeiro a julho deste ano, 29 mulheres foram mortas. Em sete meses, os casos já superam os de 2018. Ainda segundo dados da SSP, de janeiro a dezembro de 2018, Alagoas registrou 20 casos de feminicídios. O mês de janeiro de 2019 foi o que contabilizou mais casos em Alagoas. Oito casos foram registrados no estado.

A presidente da Comissão Especial da Mulher e da Comissão de Direitos Humanos da OAB-AL, Anne Caroline Fidélis, destaca que a Ordem, como importante espaço de diálogo e defesa da democracia, tem se colocado como instância de mediação, além de acompanhar e fiscalizar os equipamentos do estado,  promover eventos e propor soluções.

“Nós últimos anos a OAB participou de projetos como a Patrulha Maria da Penha e do fundo estadual de defesa dos direitos das mulheres. Além disso, corriqueiramente promove eventos sobre legislações voltadas a este tema e sobre a igualdade de gênero. Recentemente fizemos uma grande audiência pública sobre violência obstétrica e temos cadeira no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos das Mulheres”, afirmou Anne Caroline.

Segundo a delegada da Mulher, Cássia Mabel, a demanda de casos denunciados tem sido altíssima e a estrutura disposta pela especializada não comporta essa procura. Somente neste setes primeiros meses do ano, foram registrados só em Maceió 1.057 ocorrências de crimes com base na Lei Maria da Penha.

“Era necessário que a delegacia tivesse uma maior estrutura, principalmente física, como também um número maior de policiais e viaturas. É importante também que os profissionais que estejam atuando nesta área participem de cursos e a Patrulha Maria da Penha passe a funcionar 24h”, colocou a delegada.

A Secretaria de Segurança Pública, afirma que de fato houve um aumento em 2019 comparando com o ano passado, porém essa elevação nos índices fez o Estado tomar algumas medidas para combater os feminicídios.

“A Secretaria da Segurança Pública determinou que haja maior investigação por parte da Polícia Civil dos casos, a fim de prender os autores dos crimes, bem como estratégias voltadas ao combate desse tipo de crime. A Patrulha Maria da Penha tem sido ferramenta fundamental nesse enfrentamento à violência contra a mulher e há a perspectiva da patrulha se transformar em Ronda Maria da Penha, para que assim possa oferecer mais proteção às mulheres alagoanas. Além disso, a SSP traça ações estratégicas em conjunto com a secretaria da Mulher, da Saúde e de Prevenção à violência”, informou a SSP.