Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Secretário de Comunicação do Estado e Jornalista Ênio Lins foi agraciado nesta segunda-feira (05) com a comenda Jornalista Audálio Dantas, destinada a personalidades que se destacam nos meios de comunicação em Alagoas.

Ao recebeu a homenagem, Ênio lembrou que Adálio foi um dos maiores contemporâneo brasileiro e alagoano, de um perfil marcante na história do Jornalismo.  "É múltipla porque qualquer comenda que alguém receba é de se ficar orgulhoso; segundo, porque essa Comenda tem o nome de quem tem: Audálio Dantas. E terceiro, por ser a primeira pessoa a ser distinguida com tal honraria. Então, trata-se de uma honra tríplice", declarou o jornalista, agradecendo a Davi Davino e aos demais deputados da Casa de Tavares Bastos.

A comenda foi dada pelo deputado estadual Davi Davino, na Assembleia Legislativa de Alagoas ( ALE). O governador Renan Filho e secretários estaduais prestigiaram a solenidade. "Certamente essa homenagem ao Enio é muito mais pelo profissional que foi ao longo da sua carreira do que pela estada circunstancial à frente da Secretaria de Comunicação. Mas estando ele secretário, eu não poderia deixar de vir aqui lhe dar um abraço, ele que é uma das nossas referências do jornalismo", disse o governador. 

Audálio Dantas

O alagoano de Tanque D’Arca, Audálio Dantas, começou sua carreira como repórter em 1954, no jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo). Ele também passou pela redação da revista O Cruzeiro, onde foi redator e chefe de reportagem e pela Quatro Rodas. Na revista Realidade, Audálio se destacou pelas grandes reportagens, principalmente ao desbravar o Litoral e Sertão nordestino.

Ele teve um importante papel como líder sindical à frente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e na FENAJ, onde chegou a denunciar barbáries durante o período da ditadura, incluindo a morte do jornalista Vladimir Herzog. Em 1978, foi eleito deputado federal pelo Estado de São Paulo. 
Algumas de suas obras incluem a biografia de Vlado Herzog, do também alagoano Graciliano Ramos, do escritor e cartunista Ziraldo, entre outras. Audálio morreu aos 88 anos, no dia 30 de maio de 2018.