Crédito: Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Programa Força-Tarefa lançado há três semanas na capital é uma das apostas do governo para seguir reduzindo os índices de violência

Conforme dados divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no Atlas da Violência – Retrato dos Municípios Brasileiros 2019, três cidades alagoanas concentraram as maiores taxas de homicídio em todo estado.

A pesquisa analisou 310 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes em 2017 e fez um recorte regionalizado da violência no país.  De acordo com a pesquisa, o município mais violenta foi Barra de São Miguel em 2017 com uma taxa de 166,6, seguida por Roteiro com 132,9 e Pilar com 109,7.

A disputa entre as facções criminosas PCC e CV ajudaram a disseminar a violência no estado. Ainda fazendo um panorama do Nordeste, o Atlas colocou que o estado com maior taxa de homicídios estimada, em 2017, era o Rio Grande do Norte (67,4), seguido por Ceará (64,0), Pernambuco (62,3), Sergipe (58,9), Bahia (55,3), Alagoas (53,9), Paraíba (33,9), Maranhão (31,9) e Piauí (20,9).

Entre os municípios com taxas relativas a 50% do número de homicídios, Maceió com 60,2% e Arapiraca com 58,9% despontam com as maiores taxas..

“Naturalmente, há que se considerar que, por serem maiores, os 120 municípios mais violentos, em termos do número absoluto de homicídios estimados, concentram uma parcela maior da população brasileira, o correspondente, em 2017, a 39,6% do número de habitantes no Brasil”, considerou a pesquisa.