Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais realizada nesta segunda-feira, dia 22, o governador em exercício, Luciano Barbosa, e o secretário de Estado da Segurança Pública, Lima Junior, apresentaram os dados do combate ao roubo de cargas no Estado no primeiro semestre de 2019. De acordo com os números da Secretaria da Segurança Pública (SSP), houve uma redução de 40% no registro de roubos de cargas em Alagoas entre janeiro e junho deste ano, em comparação ao mesmo período de 2018.

Na avaliação do governador em exercício, os resultados se devem a um conjunto de fatores, entre eles a integração das polícias Civil e Militar e a implementação de novas estratégias de segurança pública pelo Governo de Alagoas. De janeiro a junho deste ano, foram registrados 33 roubos de cargas no Estado, sendo seis em janeiro, sete em fevereiro, oito em março e quatro nos meses de abril, maio e junho. No mesmo período de 2018, foram contabilizadas 55 ocorrências, sendo 12 em janeiro, nove nos meses de fevereiro e março, sete em abril e maio e 11 no mês de junho.

O mês de junho apresentou o melhor resultado do semestre, com uma redução de 63,6%, quando comparado ao mesmo período do ano passado. “Pelo trabalho que o governador Renan Filho tem feito, a gente registra dados muito bons, que mostram que a estratégia do governador em relação à segurança tem dado certo. A criação da Força Tarefa, do Ronda no Bairro, os helicópteros destinados à Secretaria de Segurança Pública, os concursos públicos, a compra de armamentos, a integração entre as polícias, a construção dos Centros Integrados de Segurança Pública, esse conjunto de intervenções repercute nesses dados”, observou Luciano Barbosa.

Durante a transmissão ao vivo, o secretário Lima Junior apontou a parceria entre as forças policiais do Estado e a Polícia Rodoviária Federal e destacou também a queda nos números de assaltos a ônibus na capital.

“No roubo de carga, a redução se deve muito à integração das forças policiais com a Polícia Rodoviária Federal, o Batalhão Rodoviário da Polícia Militar e a Polícia Civil, que têm trabalhado de forma exemplar também na redução do número de homicídios na nossa capital. Depois do homicídio, o assalto a ônibus é o crime que mais incomoda, porque atinge a camada da sociedade que mais precisa do Estado, aqueles que dependem do transporte coletivo para seus afazeres diários. Tivemos uma grande redução com o fortalecimento das operações policiais e pela integração com o Sindicato dos Rodoviários e com as empresas, sempre discutindo as estratégias e os números”, explicou Lima Junior.

Segundo o secretário, o combate à impunidade teve grande relevância na redução os índices de homicídio, principalmente na capital, nos últimos meses, quando 70% dos casos foram elucidados. De janeiro a junho, Alagoas teve 605 homicídios contra 830 no mesmo período de 2018, uma redução de 27,1%. De acordo com os dados da SSP, Alagoas registra uma sequência de 12 meses com redução nos números de mortes violentas, com destaque para o mês de junho, quando, pela primeira vez desde que os dados são compilados, ocorreram menos de 100 homicídios no Estado. Foram 78 casos no mês passado, 44,3% a menos que em junho de 2018.

“Em Maceió, chegamos a um patamar histórico de resolução de mais de 70% dos casos de homicídio. É a melhor meta alcançada no país. Isso minimiza um dos fatores que mais estimula a violência, que é a impunidade. Só neste ano de 2019, tivemos 145 suspeitos de homicídio presos na capital. Então, quem matar em Alagoas, vai ser investigado, vai ser preso e apresentado à Justiça para responder pelo crime”, disse Lima Junior.

De acordo com Luciano Barbosa, as estratégias de combate à violência em Alagoas serão reforçadas no dia 2 de agosto, com a inauguração de mais um Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) do Tipo 2, o segundo deste tipo, no município do Pilar. “Depois do primeiro CISP do Tipo 2 de Alagoas, em Teotônio Vilela, agora teremos o primeiro na Região Metropolitana, que vai contribuir profundamente com a redução da violência na capital e com o crescimento da nossa economia. No caso de Alagoas, pelas belezas e pelo fluxo de turistas que nós temos, a segurança pública também cumpre esse papel econômico, dando segurança para que as pessoas possam se destinar a Alagoas e aumentar as potencialidades econômicas do nosso Estado”, lembrou.

“O CISP de Pilar, junto com o CISP Tipo 2 de Rio Largo que será erguido nos próximos meses, vai fechar a Região Metropolitana, contribuindo ainda mais para a redução da violência na capital. Sabemos que Maceió, pelo número de policiais que nós temos, tem um policiamento privilegiado, mas temos a preocupação com seu entorno e, com essas políticas de apoio operacional e de investigação, temos a certeza de que os números da violência vão cair ainda mais”, concluiu o secretário Lima Junior.

*Com assessoria