Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O dentista Mário Thelmo da Rocha Ramos Cruz, acusado de espancar  uma cadela da raça Shar-Pei, na última sexta-feira, dia 19, na Ponta Verde, e provocar a morte do animal, divulgou um vídeo-texto nas redes sociais neste domingo, dia 21, onde detalha o acontecido. No relato ele afirma que o que ocorreu foi uma fatalidade e sua reação foi instintiva, no intuito de salvar a sua cadela, da raça buldogue francês e que teria se desentendido com o outro animal.

Segundo Mário, ele tem o hábito de passear com sua cadela chamada Mel todo dia de manhã. “No dia ocorrido a cadela estava no cio e sendo ela muito sociável e brincalhona foi ao encontro de uma outra cadela de raça Sharpei que tem o porte maior que a minha . Esta cachorra mordeu fortemente a Mel com movimentos ostensivos virando a cabeça de um lado para o outro deixando a Mel apenas com as patas traseiras no chão, ao ver aquela situação de aflição, a minha cachorra gritando de dor, tive por instinto afastar a agressora ”, afirmou o dentista.

No relato Mário ainda comenta que,  nem ele e nem a pessoa que estava com outra cadela, uma moça, conseguiram desvencilhar os animais, “puxando as coleiras, foi quando, por impulso eu chutei a cachorra duas vezes  e só assim ela soltou a minha cadela”, afirmou.

Ao chegar em casa o dentista observou que sua cadela “ficou cabisbaixa, chorando muito e ao lavar os ferimentos observei que a Mel teve  um corte profundo da mandíbula”, comentou ele.

Preocupado com a saúde do animal, o levou ao veterinário onde foi feito todo procedimento clínico dando analgésico anti-inflamatório, antibiótico e foi realizada uma aplicação de pomada cicatrizante no local.

Mário Thelmo afirma que “após o ocorrido o dono da cachorra esteve em minha residência onde eu tentei argumentar os fatos, porém infelizmente não obtive sucesso em razão da emoção e da revolta por parte dele, mas infelizmente estou sendo acusado de um ato triste lamentável onde nós fomos as vítimas também” .

Por fim, no vídeo, o dentista lamenta profundamente o fato ocorrido e reforça que é uma pessoa tranquila, respeitadora e ciente de absolutamente tudo e disse ainda que está  “sendo execrado nas redes sociais por pessoas que infelizmente não sabem a verdade dos fatos. Criam-se juízes no Facebook, no Instagram, advogados criminalistas na tentativa de julgar com parcialidade e isso não pode acontecer”, concluiu Mário Thelmo.

 

O caso

A enfermeira Andrea Oliveira Teodózio lamentou neste sábado (20), a morte de sua cadela, da raça Shar-Pei, agredida nesta sexta-feira (19), no bairro da Ponta Verde, na parte baixa de Maceió.

Segundo a tutora do animal, a cadela tinha ido passear com sua secretária, por volta das 6h30 da manhã, quando um outro cão, da raça Bulldog, teria estranhado e dado duas investidas contra a cadela. Na segunda investida, a cadela estranhou o Bulldog e reagiu abocanhando seu focinho, o que resultou na fúria do dono do animal, que teria desferido dois chutes contra a agressora.

Logo após, a cadela foi socorrida e levada pela família ao veterinário, onde passou por um procedimento cirúrgico de quase cinco horas. Conforme a tutora do animal, segundo informações do veterinário responsável, a cadela teria faturado a mandíbula em dois locais. Porém, a cadela não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ainda conforme o veterinário, segundo Andrea, o trauma não teria sido apenas na região da mandíbula, mas, possivelmente, nas regiões do tórax e pescoço, causando um sangramento interno.