Cortesia ao CM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A enfermeira Andrea Oliveira Teodózio lamentou neste sábado (20), a morte de sua cadela Mel, da raça Shar-Pei, agredida nesta sexta-feira (19), no bairro da Ponta Verde, na parte baixa de Maceió.

Segundo a tutora do animal, que tinha cerca de um ano e meio, a situação está sendo difícil para ela e a família. “Muito difícil porque a gente gostava muito dela. Meus filhos estão inconsoláveis. Quero que ele responda cível e criminalmente”, desabafou.

De acordo com Andrea, a cadela tinha ido passear com sua secretária, por volta das 6h30 da manhã, quando um outro cão, da raça Bulldog, teria estranhado e dado duas investidas contra Mel. Na segunda investida, a cadela estranhou o Bulldog e reagiu abocanhando seu focinho, o que resultou na fúria do dono do animal, que teria desferido dois chutes contra Mel.

Logo após, a cadela foi socorrida e levada pela família ao veterinário, onde passou por um procedimento cirúrgico de quase cinco horas. Conforme a tutora do animal, segundo informações do veterinário responsável, a cadela teria faturado a mandíbula em dois locais. Porém, a cadela não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ainda conforme o veterinário, segundo Andrea, o trauma não teria sido apenas na região da mandíbula, mas, possivelmente, nas regiões do tórax e pescoço, causando um sangramento interno.

Se comprovada a agressão, o suspeito, o professor e dentista Mário Thelmo da Rocha Ramos Cruz, pode responder pelo crime de maus-tratos de animais, previsto no artigo 32 da Lei 9605/98. O delegado Leonam Pinheiro irá investigar o caso.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria