Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

 

Peritos Criminais do Núcleo de Química e Toxicologia do Instituto de Criminalística de Alagoas receberam na manhã de hoje, (19) uma demonstração de funcionamento de um novo equipamento. No entanto, o instrumento ainda não pertence ao órgão, o produto ficará por um período de teste para os peritos observar se ele atende as necessidades diárias do Laboratório Forense. 

De acordo com o perito criminal Thalmanny Fernandes Goulart, o equipamento é um espectrômetro de infravermelho (FTIR Thermo Scientific) que oferece a maior confiança e segurança na identificação e verificação de materiais. A aquisição do produto permitirá analises e confecções de laudos definitivos de drogas de maneira mais rápida. 

O perito explicou que devido a tecnologia do equipamento, haverá uma  diminuição no tempo de respostas às solicitações de autoridades policiais e judiciárias, bem como a sua utilização pelo núcleo otimizará os trabalhos dos peritos que atuam no laboratório. 

“Entre os benefícios da aquisição futura do equipamento, teremos o tempo reduzido de entrega de laudo, consequentemente será diminuído o passivo de solicitações, uma vez que apesar do baixo efetivo, o equipamento nos permite uma análise rápida desses materiais, permitindo a entrega dos laudos mais rapidamente.” Afirmou Thalmanny Goulart.

Outra vantagem do espectrômetro de infravermelho é que ele consegue detectar mais de 20 mil tipos de espectros, uma infinidade de drogas e substancia de modo geral como polímeros, medicamentos, e drogas. Atualmente os equipamentos já utilizados pela equipe do Núcleo não consegue detectar alguns tipos de drogas, ou seja, o novo equipamento irá complementar as analises de drogas e de qualquer outra substancia suspeita detectável pelo equipamento. 

Thalmanny Fernandes defende que a aquisição do equipamento trará maior integração entre a Perícia Oficial de Alagoas e as forças policiais já que este modelo de espectrômetro possibilita o seu manuseio fora do laboratório. Por ser compacto ele pode ser transportado para qualquer local onde está sendo realizada uma operação com apreensões de drogas e material suspeito, possibilitando que a análise seja feita no momento para tirar qualquer dúvida no auto de prisão em flagrante.

“Uma vez adquirido, esse novo equipamento, poderemos deslocar uma equipe para um local de apreensão de drogas ou um local em que tenha sido feita investigação com o auto de busca e apreensão. O perito levará consigo o equipamento e in loco, no momento do cumprimento do mandato poderá de imediato afirmar se aquela substancia é ou não é algum tipo de droga, o que é de suma importância para o auto de prisão em flagrante”, concluiu o perito.

Participaram também da demonstração do equipamento os peritos criminais Ken Ichi Namba,  Gerard Deokaran, Horacio Brasileiro e Jorge Ferreira.