Foto: AFP Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Com o gol, alagoana chegou a 17 gols em Copas do Mundo e se tornou a maior artilheira da história do torneio.

O Brasil garantiu hoje sua vaga para as oitavas de final da Copa do Mundo feminina 2019. Em jogo no Stade du Hainaut, em Valenciennes (França), pela terceira rodada do Grupo C, a equipe do técnico Oswaldo Alvarez venceu a Itália por 1 a 0 graças a um gol de pênalti de Marta no segundo tempo. Com o gol  desta partida, Marta se tornou a maior artilheira - entre homens e mulheres - da história das Copas do Mundo. Agora com 17 gols, ela superou o alemão Miroslav Klose, que fez 16

A seleção brasileira chegou a seis pontos em três jogos. Em partida simultânea na cidade de Grenoble, a Austrália venceu a Jamaica por 4 a 1, com quatro gols de Sam Kerr. Assim, italianas, australianas e brasileiras fecharam a primeira fase com seis pontos cada.

A Itália assegurou a liderança do grupo com saldo de gols de +5. Austrália e Brasil empataram também no critério (+3), mas as australianas levaram vantagem nos gols marcados (8 a 6). Assim, as brasileiras avançaram à próxima fase com o terceiro lugar. Entre as terceiras, o Brasil já garantiu a melhor campanha. Assim, pegará França ou Alemanha na próxima fase.

A camisa 9 não marcou, mas foi responsável por bons momentos do ataque do Brasil. No primeiro tempo, quase marcou um belo gol de letra. Após o intervalo, sofreu o pênalti que deu origem ao gol de pênalti marcado por Marta.

Na lateral direita do Brasil, Letícia deu muitos espaços para que a Itália avançasse pela esquerda, especialmente no primeiro tempo. Na etapa final, foi menos exigida, mas acabou substituída para dar lugar a Poliana no setor.

Escalada na vaga da suspensa Formiga, a camisa 17 teve grande chance no começo do segundo tempo, quando acertou uma cobrança de falta no travessão. Bem no apoio, ela também não complicou nas funções defensivas.

Aos 26 minutos do segundo tempo, Debinha entrou na área, tentou passar por Linari e foi derrubada. Pênalti, que Marta bateu aos 28 e converteu. Com o gol, a camisa 10 chegou a 17 gols em Copas do Mundo e se tornou a maior artilheira da história do torneio, tanto entre homens quanto entre mulheres. Foi o gol da vitória.

Marta mais uma vez usou chuteiras sem marcas visíveis de fabricantes, já que não chegou a um acordo. No entanto, entrou em campo com um batom de cor escura, graças a um patrocínio individual fechado com a Avon.