Foto: Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true José Adelmo Oliveira da Silva, 23 anos

O universitário suspeito de “capturar nudes” de mulheres e de utilizar fotos de um ator pornô nas redes sociais foi solto e vai responder em liberdade. A informação foi confirmada ao Cada Minuto pelo delegado Thiago Prado nesta segunda-feira (10).

Inicialmente, segundo o delegado, José Adelmo Oliveira da Silva, 23 anos, pode pegar até cinco anos de prisão pelo crime de divulgação de imagens de nudez sem o consentimento da vítima.

Entretanto, o delegado Thiago Prado disse que se for confirmado o crime de extorsão [caso seja detectado que ele enganou e “pegou" nudez das mulheres] ele pode pegar de 4 a 10 anos.

“Já que o crime de extorsão é considerado mais grave a polícia pode solicitar a prisão preventiva do acusado”, disse o delegado. José Adelmo vai aguardar o julgamento em liberdade.

Thiago também reforçou que a investigação do caso vai durar 30 dias e que José Adelmo não tem passagens pela polícia.

Saiba mais sobre o caso

A Seção de Crimes Cibernéticos da DEIC prendeu um homem suspeito de capturar nudes de mulheres através das redes sociais, após uma investigação. Segundo a polícia, o homem, natural do município de União dos Palmares e estudante de psicologia, enganava mulheres e capturava fotos e vídeos íntimos.

Para isso, José Adelmo Oliveira da Silva, 23 anos, usava fotos e um ator pornô para atrair as mulheres. De acordo com a polícia, após enviar algumas fotos do ator pornô, dizendo que eram suas, José Adelmo, que utilizava o pseudônimo “Thiago”, solicitava que as vítimas enviassem fotos mostrando-se despidas.

Algumas das vítimas ainda faziam vídeo chamada com o criminoso, mostrado suas partes íntimas, as quais eram capturadas pelo acusado. Ele dizia para as vítimas que era empresário para assim despertar o interesse de mulheres para conversas mais íntimas.

*estagiário sob a supervisão da editoria