Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Para solicitar que a justiça faça o bloqueio dos R$6,7 bilhões da ação conjunta entre o Ministério Público Estadual (MPE) e a Defensoria Pública do Estado, diversos moradores dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro realizaram um protesto em frente à Braskem, no Pontal da Barra, na manhã deste domingo, dia 09.

Conforme as primeiras informações, o protesto foi realizado nos dois sentidos da via. Devido a isso o trânsito ficou congestionado na região.

A Braskem foi apontada como a principal causadora da instabilidade do solo, devido a extração da sal-gema, que é a atividade de mineração da empresa, que causou as rachaduras e fissuras que afetaram milhares de família nos bairros da cidade.

Em faixas, os moradores dizem que estão atentos e exigem um laudo objetivo e claro da CPRM, além disso, pedem que o bloqueio dos R$6,7 bilhões seja feito de imediato e questionam a demora das indenizações.

O mapa atualizado sobre as áreas de risco foi divulgado pela Defesa Civil Nacional e da Defesa Civil de Maceió na sexta-feira, dia 07, ele aponta a necessidade de remoção dos moradores residentes em algumas áreas dos bairros de Pinheiro, Mutange e Bebedouro. O documento foi divido por setores e cores que definem cada intensidade do problema.

Segundo o mapa, as áreas amarela, laranja e vermelha do bairro Pinheiro, onde foram notificadas as primeiras evidências investigadas desde 15 de fevereiro de 2018, receberam uma recomendação de realocação de moradores, o monitoramento dos processos erosivos e dos danos e alerta.



Leia maisMP e Defensoria pedem à Justiça Federal pedido de bloqueio de R$ 6,7 bi da Braskem: “Judiciário engabelado”