Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Cinco mulheres foram encaminhadas para Central de Flagrantes, na tarde deste sábado (08), depois que tentaram entrar no Presídio Cyridião Durval, no sistema prisional em Maceió, com drogas. 

Os entorpecentes estavam escondidos no corpo e foram encontrados durante a revista íntima. Os agentes identificaram os pacotes de maconha e cocaína ao usar  uma máquina que scaneia o corpo.

As mulheres foram identificadas como Erika Tamyres da Silva (22), Carolayne Rodrigues dos Santos (19), Dayane Ytala dos Santos (23), Jaciara da Silva Guimarães (24) e Myllena Marques dos Santos (19).

De acordo com a Secretaria de Ressocialização, uma das mulheres flagradas com droga, Dayane Itala dos Santos (23), esteve na Assembleia Legislativa de Alagoas, durante sessão de audiência pública, representando os familiares do custodiados, para debater questões relativas ao sistema prisional, acusando agentes penitenciários de facilitar a entrada de ilícitos no sistema prisional. Na ocasião, levantou a questão das revistas íntimas, mesmo com o uso do equipamento body scan.

Porém, para o trabalho assertivo dos agentes penitenciários é estritamente necessária sempre que o scanner humano detecta alguma irregularidade, a revista íntima. Trata-se de uma questão técnico-operacional desenvolvida no sistema prisional. A Seris destaca o investimento em modernização no sistema prisional para garantir segurança de todos.

Apesar de o material entorpecente encontrado estar encoberto, em sua maioria, por fita adesiva, graças à perspicácia dos servidores e à eficiência do equipamento bodyscan, as suspeitas foram impedidas de visitar seus companheiros no Cyridião Durval.

Nos últimos dias 23 e 24 de maio, agentes de todas as unidades prisionais participaram de um treinamento ministrado por equipe da Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo, que trouxeram informações sobre como aliar a experiência dos servidores à tecnologia, com o objetivo de aperfeiçoar a revista, além de evitar qualquer situação constrangedora durante o processo.

A Seris reafirma seu compromisso com a segurança e alerta que a a tentativa de atos ilícitos no sistema será punida conforme prevê a lei.