Foto: Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros faz críticas ao Governo Bolsonaro durante sessão no Senado.

Em um pronunciamento durante sessão deliberativa no Senado Federal, nesta terça-feira (21), o senador alagoano Renan Calheiros disse que o governo Bolsonaro fabrica crises diárias, e definiu as ações como “chacrinha digital primária”.

“O governo, diretamente ou através de porta vozes destrambelhados, fabrica crises diariamente, numa chacrinha digital primária. É um Titanic a procura de um iceberg todos os dias”, declarou Renan durante discurso no plenário.

O senador alagoano teceu diversas críticas ao atual governo. Disse que apesar de ter sido democraticamente eleito, Bolsonaro tem sido fonte de estresse político e institucional de forma permanente e destacou atitudes do presidente nesses quase seis meses de mandato.

“O governo cultivou crises, recuos, demonizou a imprensa, deu vexames internacionais e demostrou inaptidão para o cargo”, citou Renan.

Calheiros também falou sobre como vê à economia do país e defendeu os estudantes que saíram às ruas no dia 15 de maio, em defesa da educação e contra os cortes ás instituições federais, chamados pelo presidente de “idiota úteis e imbecis”.

“A economia brasileira está derretendo estamos à beira da bancarrota, da depressão. O desemprego é superlativo, a falta de articulação política e a incapacidade de dialogar congelou o país [...] a multidão chacoalhou as ruas, em mais de 30 cidades, em defesa da educação sem tutela ideológica. A educação definitivamente não é formada por imbecis”, frisou.

Em seu discurso, Renan disse ainda que o governo deveria se proteger de delírios, pois o momento exige grandeza e afirmou que sempre estará entre os democratas.

“O governo deveria se abster de convocar ou apoiar atos para se proteger de um delírio. Outros presidentes tentaram e malograram. O momento exige grandeza para distencionar e não convulsionar ainda mais, ou apostar na ruptura [...] eu de minha parte gosto da institucionalidade, da normalidade republicana e estarei, entre os democratas sempre”, finalizou.

A sessão desta terça, foi marcada por duras críticas dos senadores à maneira como o governo do presidente Jair Bolsonaro se relaciona com o Congresso. Além de apontar a falta de articulação, os parlamentares cobraram esclarecimentos sobre um texto compartilhado pelo presidente, segundo o qual o Brasil é “ingovernável fora de conchavos políticos”. Para os senadores, o presidente deve apontar nomes e não jogar uma suspeita sobre todo o Congresso Nacional.