Foto: Caio Loureiro Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Desembargador Tutmés Airan destacou que fará o que tiver ao alcance do Judiciário para resolver o conflito

Devido ao laudo técnico, divulgado nesta quarta-feira (08), que apontou a relação entre as atividades da Braskem e os problemas ocorridos nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), Tutmés Airan de Albuquerque, disse que vai tentar intermediar uma solução entre a empresa e os moradores dos respectivos bairros.

De acordo com o desembargador as pessoas afetadas irão buscar os caminhos do Judiciário para responsabilizar a Braskem pelos danos, sejam materiais, sejam emocionais ou morais. “A gente tem plena consciência de que essa vai ser uma demanda de massa. Então, acho que seria importante a Braskem sentar com as pessoas que tiveram suas vidas afetadas no sentido de estabelecer a solução para esse conflito”, disse o presidente.

Ainda segundo Tutmés Airan, o Judiciário de Alagoas vai fazer o que estiver ao seu alcance para que o conflito entre as partes seja resolvido da maneira mais rápida possível. “Vou conversar com a empresa para que montemos uma grande mesa de mediação, para que a gente possa virar essa triste página da história de Maceió”.

O laudo técnico foi divulgado pela Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, órgão do Governo Federal.

 

*Com Ascom TJ/AL