Foto: Divulgação / Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Marcos Santos, ex-prefeito do município de Traipu

O juiz da Comarca de Traipu, Elielson dos Santos Pereira, suspendeu dos direitos políticos do ex-prefeito Marcos Antônio dos Santos, condenado pela por improbidade administrativa. Segundo informações, o ex-gestor usava os servidores da Prefeitura para interesses pessoais. O período do afastamento é de oito anos,

De acordo com os registros, o servidor Luiz Carlos de Souza de Sena exercia formalmente o cargo de professor, mas executava as funções particulares de caseiro na fazenda de Marcos Antônio. Já Erivan Alves dos Santos, funcionário da Secretaria de educação, ocupava a função de segurança na casa do ex-prefeito.

Marcos Antônio também foi condenado pela contratação de servidores sem realização de concursos públicos, ao final do certame em 2002. O ex-prefeito contesta e afirma que não há improbidade em sua administração. No entanto, o juiz acredita que houve má fé no ato das contratações irregulares dos servidores públicos.

“Em que pese ter assumido o compromisso de realizar concursos públicos, após o final do certame de 2002, passou a gerir o funcionalismo municipal com o mesmo proceder de antes da realização do termo de ajuste de conduta, o que revela tratar-se de administrador ímprobo, na medida em que ficou indefinidamente realizando contratações irregulares sem qualquer pretensão de realizar concurso público”, destaca Elielson dos Santos.

Além dos direitos políticos, Marcos Antônio poderá perder função pública que venha a estar ocupando, além de ressarcir de forma integral os danos causados aos cofres públicos, por usar dois servidores públicos para fins particulares. O valor será apurado em liquidação com juros acrescidos.