CadaMinuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Delegada Ana Luiza Nogueira

A delegada Ana Luiza Nogueira informou que através do material genético analisado pelo laboratório forense de Brasília, a Polícia Civil conseguiu provas técnicas que fundamentaram os nove mandados de prisão contra Benício Vieira de Lima, preso nesta segunda-feira (15).

Os casos dos estupros em série chegaram até a Polícia após a denúncia de algumas vítimas e a notificação feita por unidades de saúde, onde as garotas eram atendidas. Uma das vítimas contou que fez a denúncia e passou a andar junto com o pai nas proximidades da Avenida Rotary para conseguir identificar o local onde o crime.

“Ele me abordou na rua, mandou para encostar no carro e pediu para não gritar... Eu estava sozinha quando ele me abordou e quando estava voltando conseguir tirar a venda do rosto e vi um pouco do caminho”, disse a garota.

Durante todo o trajeto depois que fazia a abordagem até o escritório na Avenida Rotary, o acusado mantinha as vítimas com os olhos vendados. “Ele ameaçou me matar se não fizesse tudo que ele queria... Disse que ia voltar a me procurar e ameaçou também procurar a minha família”, acrescentou ela.

A jovem contou que passou mais de 2 horas dentro do escritório e que o acusado ainda a levou a certo trecho próximo de sua casa. Benício Vieira de Lima foi levado para sede do Code, no bairro de Mangabeiras, mas deverá ser transferido para o sistema prisional.