Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O número de motos circulando nas cidades tem sido alto nos últimos anos, com a facilidade de locomoção para fugir dos grandes congestionamentos e também pela economia nas despesas com o combustível. No entanto, os acidentes de trânsito envolvendo motos são os que mais matam no país.

Enquanto condutores visam a praticidade, um outro requisito precisa de atenção: cuidado nas ruas. Alguns dos acidentes são causados por descuido dos condutores e a quantidade de acidentes envolvendo este de tipo de transporte não somente na capital, como no interior, infelizmente, muitas vezes esse acidente acaba de forma fatal.

De acordo com dados do Hospital Geral do Estado (HGE), vítimas por acidentes de motos contabilizaram mais de 3 mil atendimentos somente durante este ano em Alagoas. Em comparação ao mesmo período do ano passado, houve uma redução de quase 30% no número de casos envolvendo acidentes de motos no estado.

 No ano 2017, 45% das internações foram de motociclistas. Apesar da diminuição de ocorrências, os números de acidentes continuam preocupando autoridades, já que a quantidade de acidentes são reflexos da imprudência e da falta de respeito com as leis de trânsito.

Além do HGE, o Hospital de Emergência do Agreste registrou em 2018, mais de 10 mil casos de vítimas de acidentes envolvendo motos na região. Em comparação ao mesmo período de 2017, houve uma diminuição de 15% no índice de vítimas registradas no local.

Nos últimos três anos, mais de 14 mil ocorrências foram registradas na principal unidade de atendimento à saúde do estado, o HGE. Entre as vítimas mais recorrentes se encontram pessoas que utilizam o veículo como o principal meio de transporte e trabalho.

*Estagiária sob supervisão da editoria