Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Uma pista de corrida completamente no escuro. Essa foi a ideia da "ASICS Blackout Track", circuito personalizado criado em Londres que vem sendo testado por diversos atletas profissionais com o objetivo de treinar suas mentes. A ideia por trás do projeto é que, ao eliminar distrações, os corredores podem focar completamente na sincronização entre corpo e mente e se dedicar 100% a cada passo.

Para isso, além da falta de iluminação, que é feita apenas por um pequeno holofote que segue atrás do atleta, a pista não conta com som, tecnologia, cenário, ou mesmo uma linha de chegada — os atletas percorrem o circuito e, quando a distância definida acaba, são avisados pelo sistema da pista.

O projeto  “ASICS Blackout Track”

O "ASICS Blackout Track" foi desenvolvido em colaboração com cientistas esportivos e técnicos. O grupo incluía o Professor Samuele Marcora, diretor de pesquisa da Escola de Ciências do Esporte e do Exercício da Universidade de Kent, e o Dr. Jo Corbett, líder do Grupo de Pesquisa em Desempenho Humano e Saúde da Universidade de Portsmouth.

Além disso, os embaixadores da ASICS Chevy Rough, um treinador mental que trabalha com grandes atletas, e Jan Erik Kruse, um dos líderes da ASICS, também ajudaram a moldar as várias experiências na pista.

Três corredores, com uma variedade de habilidades atléticas, completaram 66 voltas na escuridão como parte de uma "maratona mental" de 10 km — andando de um lado para o outro sem nenhum dos habituais "confortos" de uma corrida, como tecnologia para medir velocidade, batimentos cardíacos ou mesmo uma linha de chegada.

A medalhista olímpica e recordista de maratona Deena Kastor (EUA) foi uma delas, e fez o melhor tempo em apenas 37 minutos e 16 segundos. Além dela, o aventureiro Danny Bent (Reino Unido), que já pedalou 9.000 milhas de Londres para a Índia, correu a pista em 44 minutos e 7 segundos.

Resultados do experimento

A ASICS junto com a agência Edelman, responsáveis pelo projeto da pista, lançaram um vídeo que explica os resultados do experimento — e eles são fascinantes.

Ao tornar as condições mais difíceis (correr sem indicadores de desempenho, sem finalização clara ou encorajamento positivo, como torcer), até mesmo atletas experientes tiveram uma redução em média de 60 segundos a cada 5km — a diferença entre ganhar uma medalha ou não esportes competitivos de resistência. De fato, a diferença no desempenho médio de 5km foi maior do que o esperado pela ASIC — em alguns casos, essa diferença alcançou até dois minutos.

Então, o que isso prova? Segundo a ASICS, se você pode treinar sua mente correndo neste tipo de ambiente, você poderá se tornar mentalmente forte e assim, eventualmente, superar os atletas comuns que dependem de incentivos no seu desempenho. Além disso, os atletas que participaram do experimento também disseram que experimentaram uma espécie de euforia de "corrida pura" em algum momento da pista.

É claro que isso levanta a questão: para um corredor amador, por que se privar de música e distrações durante uma simpels corrida? No entanto, colocar a questão na mesa para discussão ainda é muito importante.