Não existe nada mais satisfatório do que comprar algo que desejamos há tanto tempo! Ficamos animados e logo imaginamos tudo que faremos com a novidade. Mas quando se trata de um carro ou uma moto, é preciso ter cautela para não deixar a euforia nos deixar esquecer das responsabilidades que envolvem ao realizar a transferência de um veículo. Sabemos que tudo que está relacionado ao trânsito envolve leis e processos burocráticos, e reunir documentos para transferência de veículos para o novo proprietário não pode ser desconsiderado. O comprador e o vendedor devem obedecer aos processos definidos pela legislação, entregar a documentação, entre tantas outras responsabilidades. Para sanar suas dúvidas e te ajudar a saber quais documentos serão solicitados e revistos na hora da venda, separamos algumas dicas. Confira!

IPVA 

Se tem um item que exige devida atenção é o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Para se ter uma ideia pagar o IPVA é tão importante que sem ele a licença anual do veículo não é liberada. Cada estado estabelece uma data limite para o pagamento do imposto - o que costuma levar em conta o final da placa do veículo - mas quanto mais antecedência se pagar o tributo mais chances de desconto terá. Na hora da transferência do seu veículo para outro proprietário também é necessário que esta pendência seja quitada. Por falar nisso, já começou a se programar para pagar o IPVA 2019? Esteja atento!

Tenha cautela com os intermediários

Ainda que seja comum o próprio comprador resolver o procedimento de transferências sozinho, sabemos que são muitas as exigências. Às vezes é difícil dar conta, mas a boa notícia é que há alternativas para a diminuição da burocracia da documentação veicular através de serviços online. A Meu Despachante é um deles e promete facilitar a sua vida. A plataforma dá a possibilidade de consultar sua placa por meio de um banco de dados seguro, parcelar seu IPVA e ainda receber documentos em casa.

Mudança da responsabilidade Legal

A mudança da responsabilidade legal também é muito importante para quem busca comprar um veículo. Tenha cautela ao passá-lo para o próprio nome, faça a transferência no ato da compra! Só assim será possível utilizar alguns serviços, como seguro de automóveis, por exemplo.

Providencie a vistoria veicular de transferência 

Não esqueça de agendar a vistoria veicular de transferência. Depois que o IPVA, o licenciamento, as multas ou outros encargos estiverem quitados, localize em seu estado os locais para realização desse procedimento. Ao longo da vistoria, será constatado se houve alguma modificação no veículo, se as suas características condizem com o que está no documento, se os itens obrigatórios — como triângulo, cintos de segurança, retrovisores, por exemplo — estão em condições de uso. Após este procedimento é feito um laudo oficial que fica registrado nos arquivos do DETRAN para a que possa realizar a transferência do veículo.

Transferência do CRV

Quando mudamos de residência é necessário que cuidemos de algumas questões, como: atualização o endereço de correspondência junto a bancos e demais empresas, transferência do título de eleitor e atualização dos dados para as empresas que nos fornecem água, luz, internet, entre outras coisas. Na transferência de veículos não é diferente! Caso você mude de estado, é necessário a emissão de um novo Certificado de Registro de Veículo, contemplando o endereço residencial atualizado. Não se esqueça! Agora que você já conhece alguns documentos importantes para transferência de veículos busque se organizar: separe cópias de sua identidade, CPF, comprovante de endereço e carteira de motorista. Se programar é o primeiro passo para fazer bom negócio e evitar problemas futuros.