O inverno já chegou e com a nova estação aumentam a incidência de doenças respiratórias. Durante esta época do ano, devido ao tempo seco e a menor dispersão dos poluentes, a qualidade do ar piora, ocasionando irritação nas mucosas respiratórias.

Além disso, as aglomerações em ambientes fechados tornam-se mais frequentes, o que aumenta o risco de contaminação. Apesar de todos estarem suscetíveis, são as crianças e os idosos, por terem o sistema imunológico mais frágil, os mais afetados.

Ao nascer, o bebê é estimulado a produzir anticorpos através do aleitamento materno e a partir dos sete meses começa a produzir suas próprias defesas, sendo que só tem imunidade totalmente fortalecida aos quatro anos de idade.

CUIDADOS

Durante um período crítico como o inverno, é necessário tomar precauções para evitar a infecção das crianças. Primeiramente, é importante evitar mudanças bruscas de temperatura, quando sair de locais fechados para a rua agasalhe bem a criança, sempre cobrindo o pescoço, boca e nariz.

Manter uma boa alimentação também é importante. Prepare uma dieta rica em frutas, verduras e legumes, eles irão ajudar a preparar e fortalecer o sistema imunológico do seu filho para eventuais infecções que possam aparecer. Evite aglomerações e lembre-se de lavar as mãos, principalmente quando chegarem em casa.

No inverno, ingerir bastante líquido é tão importante quanto no verão. Manter as vias respiratórias hidratadas ajuda a diminuir o risco de contaminação, para as crianças, lavar o nariz com soro fisiológico ajuda a descongestionar as vias nasais.  

DOENÇAS MAIS COMUNS

O resfriado é a doença mais comum a se manifestar nesta época, causando dor de garganta, espirros e secreção nasal. Mais agressiva do que o resfriado, a gripe apresenta sintomas como tosse, dor de garganta, dores no corpo e febre alta, além dos outros cuidados, a vacina também é uma boa maneira de prevenir o vírus da gripe.

 

Gripes e resfriados não tratados corretamente podem evoluir para uma pneumonia, que causa febre alta, escarro, dor no peito, suor, palidez, e exige uma supervisão profissional mais próxima.

Além disso, os pais de crianças portadoras de doenças respiratórias crônicas como rinite e asma devem ficar atentos, já que nesta época do ano aumenta a ocorrência de crises. É preciso manter as visitas ao seu pediatra ou especialista em dia e, se for o caso, não esquecer de ingerir a medicação prescrita.

Caso seu filho apresente algum desses sintomas, vá para a unidade de saúde mais próxima e inicie o tratamento o quanto antes, em sistemas imunológicos tão frágeis é primordial evitar qualquer tipo de complicação.

 

Realização: Amil