Ilustração Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Carteira de Trabalho

Alagoas fechou o ano de 2017 com 8.255 vagas a menos de emprego formal, ou seja, com carteira assinada. Uma variação de 2,31% menor em relação ao ano anterior, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira, 26, pelo Ministério do Trabalho.  O estado teve o pior desempenho da região Nordeste, ocupando a 26ª colocação no ranking nacional.

O setor que teve maior redução no número de vagas foi o da Indústria da Transformação, que perdeu 4.297 postos. A Construção Civil ficou com o segundo lugar, com – 2.2375, seguida pelo setor de Administração Pública que teve perda de apenas 20 empregos formais.

Só em dezembro do ano passado, o Estado fechou 1.272 vagas formais, uma variação de 0,36% em relação a novembro. Os setores que mais contribuíram para esse resultado em Alagoas no mês de dezembro foram os da Construção Civil, com -826 vagas, e da Indústria da Transformação, com -303 postos. Os Serviços Industriais de Utilidade Pública fecharam o mês com resultado positivo em 41 vagas.

Ao todo, o Brasil fechou 20.832 postos de trabalhos formais em 2017. É o terceiro ano consecutivo com perdas de vagas formais desde 2014, quando foram criadas 420,69 mil vagas de trabalho. Apesar do resultado, o número ainda é o mellhor dos últimos anos, em 2015 foram 1. 534 milhões de vagas fechadas, e em 2016 foram 1.326 milhões

O saldo negativo de 20.832, corresponde à diferença entre as contratações (14.635.899) e as demissões (14.656.731) com base no cadastro do Caged.

 

 *Com Informações do Ministério do Trabalho